Google+ Followers

domingo, 6 de outubro de 2013

25K - MARATONA DE SÃO PAULO 2013



Após quase 6 meses de atraso, aconteceu hoje a XIX Maratona de São Paulo com provas de 10K(na região do Ibirapuera), 25K(saindo do Ibirapuera e chegada na Avenida Politécnica) e a principal de 42K(saindo do Ibirapuera, indo até a USP e chegando novamente no Ibirapuera) além de uma caminhada de 3k.



A organização da prova informou que foram cerca de 18 mil inscritos para as três provas. A entrega do kit contendo o número de peito, chip descartável, a bonita camisa azul e alguns brindes dos patrocinadores aconteceu na quinta, sexta e sábado no ginásio do Ibirapuera. Retirei o kit na sexta sem pegar fila nenhuma. No sábado, com mais gente retirando, houve fila.




Aqui é São Paulo meu filho! Então a gente pode esperar qualquer variação no clima. Para quem estava esperando a chuva, que teimou em cair quase que a semana toda, o domingo amanheceu frio mas com um sol que nos brindou de ponta a ponta. Perto do Jockey Club o relógio marcava 19°. Na Usp, já no final da corrida de 25K, 17°. Vai entender.



Sábado bem dormido a tarde, plantão de sábado para domingo tranquilo, meu time ganhou no sábado a noite, contas em dia... tudo certo com a parte psicológica. A parte física também. Tudo pronto para focar somente na corrida.



A largada ocorreu à partir das 08:00 hs. Era para ser em ondas, conforme preenchido no ato da inscrição. Mas... Era tanta gente que saia pelo ladrão. Tentei acessar meu setor mas já a fila estava bem para fora. O jeito foi esperar a largada e esperar a multidão se ajeitar e ir por tabela.



Da largada ao km5(chegando na Margina Pinheiros) tudo tranquilo. Nessa parte os participantes da corrida de 10K se separaram dos demais. Aí a pista ficou com mais espaço permitindo que se corresse de maneira mais uniforme, sem ter que ficar desviando.



Do km6 ao km8(chegando na Ponte Estaiada) o ritmo já estava cadenciado. Nesse ponto, os líderes da Maratona já estavam voltando na Marginal, cerca de 4 km n frente. Batuque ao lado da pista e o staff animando os corredores.



Do km9 ao km14(retorno da Margina Pinheiros até a Ponte Cidade Jardim) o ritmo começou a diminuir. Já dava pra ver algumas pessoas caminhando, outras já sentindo a parte física. Dava pra ver muitos corredores parando para passar o anestésico e outros precisando de uma massagem.



Do km15 até o km19(Jockey Club até a Praça Panamericana) as dores já se tornaram mais intensas. Doía os pés, tornozelos, joelhos, região lombar. O folego até que estava bem. Nesse ponto, o número de pessoas que caminhavam aumentou. Eu mesmo, na subida da ponte da Cidade Universitária, tive que diminuir e andar um pouco. Mas até andando as dores não cessaram. Na Avenida Lineu de Paula Machado, os líderes da Maratona já estavam voltando. Eles estavam no km 36, faltando cerca de 6 km para a chegada.



No km 20, na Praça Beethoven(próximo ao Parque Vila Lobos), a parte mais cruel. Já com o corpo totalmente dolorido, estava mais perto de casa do que da chegada. Se eu virasse a direita, seriam 4 km até chegar em casa e pra chegada faltavam ainda 5 km. Mas essa hipótese nem passou pela cabeça.



Do km 21 até a chegada faltava domar a ansiedade. As pernas pesavam toneladas. Cada metro percorrido parecia uma subida da Consolação. A Avenida Prof. Melo Moraes parecia interminável. E imaginar que muitos ainda tinham mais 17 km até voltar pro Ibirapuera.



O trajeto praticamente plano. Algumas subidas apenas para acessar as pontes da Marginal. No meu gps, a distancia total foi de 25,95 km, ou seja, acrescentaram cerca de 1 km a mais. O tempo total foi de 2 horas, 37 minutos e 12 segundos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário